Baixe nossos aplicativos

CARPOTECA

Mais do que armários fartos de frutos, a concorrer com as prateleiras dos supermercados ou as barracas de feiras livres, as carpotecas são coleções cientificamente identificadas, além de catalogadas e organizadas de maneira simples, mas sobretudo sistemática.

Como complemento do acervo de um herbário, as carpotecas significam um importante suporte material para as pesquisas em diferentes áreas da botânica, sendo especialmente úteis na identificação e caracterização de espécies, em estudos sobre a dinâmica e evolução da comunidade vegetal, e na elaboração de estratégias de conservação e manejo.

Coleções biológicas como as carpotecas, entretanto, são ferramentas muito valiosas não apenas ao saber botânico; são imprescindíveis a um grande número de estudos em outras áreas da ciência, a exemplo dos trabalhos com interação ecológica – em particular às análises sobre frugivoria, dispersão e dieta da fauna, das pesquisas em arqueologia e antropologia ou investigações técnico-científicas como as realizadas pela medicina forense.

As carpotecas, como coleções científicas acessíveis a todos, adquirem grande relevância para a sociedade, e são importantes ferramentas de apoio nos programas de educação.

A carpoteca do Jardim Botânico Plantarum é uma coleção científica de caráter didático, composta por frutos (e infrutescências) desidratados de mais de 700 espécies distintas. Seu acervo é constituído exclusivamente por espécies de planta nativas do Brasil, em sua ampla maioria árvores, muitas delas raras ou consideradas ameaçadas de extinção.

Estabelecida no ano de 2009, os primeiros frutos incorporados à coleção da carpoteca HPL foram os da faveira-de-wilson (Dimorphandra wilsonii), leguminosa em avançado processo de extinção e da qual são conhecidos apenas 12 indivíduos. As famílias mais representativas em número de amostras são Fabaceae e Bignoniaceae, seguidas por Malvaceae, Apocynaceae, Vochysiaceae e Lecythidaceae, respectivamente.

As espécies estão organizadas preferencialmente de acordo com a sua proximidade filogenética, na intenção de tornar mais ágil a localização de um exemplar e, assim, facilitar o processo de identificação de determinada espécie. Algumas espécies, entretanto, encontram-se representadas por mais de uma amostra, uma vez que, segundo sua procedência, algumas variações significativas são esperadas.

Os frutos estão acondicionados em caixas de madeira, de acordo com sua dimensão e quantidade, e estas dispostas em estantes com tampa de vidro, a permitir sua pronta e plena visualização. Nas caixas é fixada uma etiqueta com a identificação científica e o nome popular, acompanhados pelo número de tombamento. Todas as amostras que compõem a carpoteca estão registradas em um banco de dados informatizado, onde, associadas a seu número de cadastro, constam ainda outras informações relevantes, como procedência, data de coleta, nome e número do coletor, além de observações adicionais sobre a planta.

A carpoteca é uma coleção associada e situada no herbário HPL, cujo principal objetivo é manter e disponibilizar de maneira didática um acervo de referência em frutos de espécies de árvores nativas da flora brasileira, servindo ainda como suporte a um grande número de projetos de pesquisa e atividades educacionais desenvolvidas pelo Jardim Botânico Plantarum.

A carpoteca HPL é também importante à medida que viabiliza o armazenamento de material do Herbário HPL, em especial frutos e infrutescências coletados em larga quantidade ou que por serem excessivamente grandes e pesados, são difíceis de manusear e podem ainda danificar as exsicatas armazenadas em seus armários. Como coleção associada, por sua vez, para cada amostra de fruto constituinte do acervo da carpoteca HPL existe uma exsicata correspondente cadastrada na coleção do herbário HPL, com o propósito de que a identidade de um acesso possa, a qualquer momento, ser verificada – contudo, algumas amostras da coleção didática não constam de registro no herbário.

Seu acervo, além de subsidiar pesquisas nas mais diferentes áreas da botânica, como espaço didático, contribui para a formação educacional por serem uma evidência material da biodiversidade de nosso país, através dos mais distintos formatos, tamanhos, texturas e cores de seus frutos.

As consultas ao seu acervo são restritas a pesquisadores cadastrados, ocorrendo somente em horários previamente agendados. Porém, uma amostra educativa da carpoteca, onde são apresentados os seus mais notáveis exemplares, está disponível em exposição permanente para todos os interessados em conhecer mais sobre as árvores brasileiras, na Sala de Educação Ambiental do Jardim Botânico Plantarum.